MJFanForum
Cadastre-se agora no fórum com verdadeiro amor ao Rei e Anjo Michael Jackson! Material exclusivo e atualizado diariamente! Já nos conhece? Então faça o login e aproveite!

É hora de relembrar, Testemunhos de fãs, o que disseram e ouviram de Michael

Ir em baixo

É hora de relembrar, Testemunhos de fãs, o que disseram e ouviram de Michael 	 Empty É hora de relembrar, Testemunhos de fãs, o que disseram e ouviram de Michael

Mensagem por izilda em Qua Jan 26, 2011 6:35 am

Aqui você irá encontrar alguns testemunhos diretos de fãs que viram Michael em suas últimas semanas de vida.
Se
pessoas como Marika,Sandy e muitas outras tinham tal acesso a Michael ,
os promotores,os gerentes,o grupo, se fossem fãs estariam preocupados
com a possibilidade de Michael morrer,como é possível que todo mundo não
o tenha visto?.

Erika
Aqui está o meu testemunho:

Por
mais de 20 anos, tenho seguido Michael com paixão, dedicação e amor
infinito. Eu o conheci mais de uma vez, mesmo em lugares calmos e
relaxados, como quartos de hotel. Eu também encontrei com ele (com não
mais do que outras quatro pessoas) em seu rancho Neverland's.
Então eu posso dizer se Michael estava sob os efeitos dos medicamentos prescritos ou não.
A
maioria de seus seguidores sabem que ele era viciado em alguns
analgésicos, após passar por algumas doenças e intervenções cirúrgicas,
como a que ele enfrentou após o terrível acidente que levou seu cabelo
pegando fogo durante a filmagem de um comercial da Pepsi em volta 1984.


Testemunho de Marika(Terça, 06 Outubro 2009)

"O que eu testemunhei em Junho"

Olá todo mundo,

Eu
sei que alguns de vocês não gostaria de ouvir o que eu tenho a
dizer,mas eu preciso contar minha experiência para vocês todos a
compreenderem.
Alguns de vocês podem ter escutado sobre um e-mail que
eu enviei em 21 de junho.Foi postado em fóruns sem meu consentimento,e o
pessoal me esculhambou,dizendo que eu era uma mentirosa,que estava
querendo fama (??) e mais...

Isto é o que eu enviei:

Eu, com dois outros amigos, encontrei Michael Jackson em seu carro em 19 de março de 2009.

Nós conversamos sobre AEG,como ele estava furioso com eles,
tentando azer dinheiro,vendendo ingressos via Viagogo (leilao, cambistas).
Ele disse "Eu odeio escutar estórias como essa!".

Eu
e meu amigos vimos um Michael muito frágil.Ele estava com uma calça
laranja larga.Mas como ele estava no banco de trás e nós,sentamos no
assento dianteiro,ele estava com suas pernas entre as nossas.Nós
podiamos ver como sua perna estava realmente.

Ele estava tão magrelo.

Michael
não poderia parar de se desculpar pela forma que aparentava: "Você me
desculpe me ver assim, estou tão fora de peso!".Ele estava escondendo
sua face em suas mãos quando dizia isso.

De qualquer jeito, nós
estamos um pouco preocupados,mas pensei:ok,ele tinha 3 meses antes dos
shows em Londres,então ele poderia estar trabalhando muito...

3
meses depois, eu e meu amigo voltamos para Carolwood,e ele testemunhou
Michael estar sob influências de remédios. Mas o que era estranho,é que
era APÓS os ensaios,e não após a visita do Doutor Klein.
Então o que quer que lhe estavam lhe dando foi dado nos ensaios.

Nesta noite,Michael teve perda de memória. Ele estava completamente aceso, já que estava falando dormindo.

Se NÓS vimos isso, não sei como as pessoas ao seu redor, que o viam por 10 horas por dia não poderia ver isto.

Poucos dias depois, Michael convidou eu e minha amiga para o set do projeto do Domo. Minha amiga fez uma jaqueta para ele.
Ele estava trajando uma jaqueta vermelha Balamin,você pode ver no trailer.
Minha amiga lhe deu sua jaqueta e Michael tentou pega-la.
Ele pegou sua própria jaqueta.
Ele estava vestindo calças brancas apertadas e camisa branca apertada.
Pela primeira vez,nós nos demos conta do quanto de peso ele perdeu.
Ele não poderia vestir esta jaqueta.
Ele realmente estava magrelo.E NÃO MAGRO.
O casaco estava muito grande para ele.
Mas ele estava feliz e disse: Oh como você sabe o meu tamanho?!
Ele a manteve.Você viu uma foto dele a vestindo. Datada de 11 de junho.
Ele poderia dar a volta atrás de sua parte traseira literalmente com a jaqueta.
Isto é o por que de eu e minha amiga enviarmos este e-mail em 21 de junho.
Para compartilhar nossas preocupações com sua saúde.

Eu não estou dizendo que Michael estava morrendo de uma doença.
Eu não estou dizendo que Michael estava morto.
Eu não estou dizendo que eu conheço a verdade.

O que eu estou dizendo é apenas que NÓS, FÃS, sentimos que MJ poderia estar em perigo.
O que eu estou dizendo é apenas que NÓS, FÃS, vimos o tanto de peso que Michael perdeu.
O que eu estou dizendo é apenas que NÓS, FÃS, podemos ver que ele estava sob influências.
O que eu estou dizendo é apenas que MICHAEL disse aos fãs que ele estava sob muito pressão, não podendo comer ou dormir.

Agora
eu apenas me pergunto por que eles,A COMITIVA DE MJ, continua dizendo
que Michael estava em ótima forma,quando qualquer um deles, poderia ver
que não estava?.

Eu apenas me pergunto por que,apenas agora,
vazou UMA DIVULGAÇÃO DA IMPRENSA sobre autópsia de Michael dizendo que
seu peso estava 136 libras.

O relatório da autópsia diz que não sairá até o fim da investigação.
Alguém está ficando assustado?.

Eu não estou dizendo que Michael foi morto.
Eu não estou dizendo que Michael estava doente.
Eu estou apenas dizendo a algumas pessoas:
PARE DE MENTIR PARA NÓS
PARE DE NOS FAZER DE IDIOTAS

Nós vimos em que forma Michael estava
Ele nos disse que NÃO estava se sentindo bem.
Parem de mentir.
Nós já o perdemos.
Tenha as entranhas para admitir a verdade e dizer:
Sim,talvez Michael precisasse de ajuda que nós não lhe demos.
Nós poderiamos ter colocado mais pausas entre os shows,
apenas para fazê-lo se sentir menos nervoso.

Nós não estamos dizendo que estas pessoas o mataram.
Mas
ao escutar o problema e ansiedade de alguém,eles poderiam fazê-lo se
sentir mais relaxado,ele poderia ter comido, dormindo melhor e não
tomaria Propofol.
Consequentemente,ainda poderia estar aqui.


É hora de relembrar, Testemunhos de fãs, o que disseram e ouviram de Michael 	 Marika20090611
MJ 11 June 2009




Este é o e-mail que eu enviei para os fãs de MJ e o séquito de Michael se você quiser ler:

Marika Prochet 21 de junho, à 15:21
Queridos fãs mais próximos de MJ,

Esta é uma importante mensagem.Alguns de nós irá odiar isso.
Outros irão começar a pensar.

Como você deve saber, a poucos dias atrás, eu e Moon tivemos
a sorte de ser convidados para o set de Michael's shooting.

Michael estava vestindo calças brancas .Bem apertada.E uma camisa branca.Bem apertada.

Como
vocês sabem,Michael tem estado realmente magrelo desde o julgamento.
Nós todos conversamos e sempre dissemos:ele está assustadoramente magro.
Alguns de nós disse que ele deveria comer.

Mas o que Moon e eu vimos na semana passada nos horrorizou. Ele estava assustadoramente magrelo.
Ele era um esqueleto. Eu vi seu traseiro, e eu quis levantá-lo. Eu nunca senti um choque que nem esse.
E eu já sabia que ele era magrelo. Mas estas roupas... era como se ele estivesse pelado. Eu estava envergonhada.

Eu sai do set. E o que eu deveria dizer aos fãs?
"Oh Deus ele é tão magrelo!" E então,o que eu diria?
"Oh isso foi grande! yeahhh! Eu vi Michael no set! yeah!!!"

Eu
tive a mesma reação que eu tive desde o julgamento. Ele agora está mais
que magrelo. Ele é um esqueleto. Mas eu não posso fazer nada então
vamos falar sobre alguma coisa!
Sobre como eu estava feliz em encontrá-lo.

Mas para ser honesta, desde este dia, me senti esquisita. Com uma sensação de culpa.

Eu senti que eu testemunhei a realidade. Pela primeira vez,
ele
não tinha um casaco, uma camisa grande, calça grande. Pela primeira
vez, eu vi a realidade da situação. Eu senti que eu já sabia mas não
queria aceitá-la.

Honestamente, eu penso que eu sou como todos
vocês. Nós estavamos preocupados por 5 minutos mas então,a única coisa
que podíamos pensar sobre isso era: eu quero ver o Michael, eu quero dar
um abraço,
eu quero dizer eu te amo para ele... Eu penso sobre mim mesma e minha felicidade.

Mas
eu comecei a me perguntar: Michael ensaia todo dia, ele está cercado
por 200 pessoas, que trabalham com ele todo dia. Mas quem eram estas
pessoas?.

Dançarinos que estavam vivendo seu sonhos, Kenny Ortega
que está produzindo seu melhor show até então, técnicos, segurança de
Michael, o gerente de Michael... e KAren Faye.

Nem família, nem amigos, nem ninguém.

Karen é a única a ter tido amor por Michael. Então eu enviei a ela.
Eu queria saber se o pessoal estava cego ou fazendo nada?

Aqui está sua resposta:

Olá Marika,

Eu sei.
Eu estou fazendo tudo humanamente possível..seu coração e o meu estão no mesmo local.
Por favor mantenha seu amor.
Amor,
Karen
Shanti, Shanti, Shanti

Quando eu li isto,eu percebi eu estava certa.

Ela está fazendo alguma coisa. Mas o que ela pode fazer?

Como todos nós sabemos, Michael não ouvia a ninguém. Ele fazia o queria.
E se você conhece um pouco sobre anorexia, você sabe que se você os pede para comer, é completamente inútil.
Então Karen poderia dizer a ele para comer. Ele não iria.
Pessoas nesta situação precisam de um choque para começar a fazer algo.

Então esta é minha questão a vocês:

Todos
nós realmente amamos muito Michael. Nós todos queremos ver seus shows.
Nós todos pensamos sobre como será sua primeira fileira. Sobre como nós
iremos obter mais tickets.
Sobre como nós iremos encontrá-lo mais que outros fãs. Sobre
como obter uma foto com ele. Sobre nada o machucando.

Como
vocês irão fazer todas essas coisas se durante o terceiro concerto ele
desmaia no palco, e se seu coração parar durante o caminho para o
hospital?.
Como nós nos sentiremos :Nós sabemos que ele estava tão
magrelo para fazer 50 shows. Nós sabemos que ele parou de comer durante o
julgamento e ensaia 10 horas por dia para nós.

Como você se sentirá :pessoas disseram que ele estava indo bem mas eles mentiram. Nós falamos que ele era um esqueleto.
Você se sentirá culpado?. Você será capaz de durmir a noite pensando que você sabia e não fez nada?.

Alguns de vocês irá dizer:

"Ele tinha médicos consigo"
"Eles não o deixariam dançar se ele não estava saudável"
"Eu não quero fazer alguma coisa, isto irá me machucar"

Bem deixe me dizer a vocês o seguinte:

Se ele tinha doutores consigo,ele poderia ter ganho peso.
Ninguém vi Lou Ferrigno em algum lugar em torno dos ensaios ou na casa de Michael.
No
set, eu vi pessoas ao redor de Michael. Todo mundo estava evitando
Michael, olhando em mais algum lugar. Eles todos estavam trabalhando em
seu vídeo, cada um com seu interesse.
Muito dinheiro estava envolvido. Não quer ser demitido por que você disse para Michael Jackson comer.
Vocês todos sabem que os empregados de Michael nunca irão assumir o risco de perder seu emprego.
Eles não amam tanto assim Michael.

E para aqueles que estiveram em Carolwood, todos vocês sabem que Michael está completamente sozinho ai.

Se
você recebeu este email, isto significa que você é parte dos fãs de MJ
que sabiam que Michael não era Peter Pan, Michael não é 100% perfeito, e
que neste dia, nós somos os únicos que restam que amam Michael o
suficiente para tentar fazer a diferença.

Nós todos vimos Michael
em seu pior, e nós todos o vimos ainda vivo. Mas apenas pensar 5
minutos em que o esqueleto que Michael se tornou e irá atuar 2 horas
toda noite durante 3 meses.Você será capaz de fazer isso?
Modelos morrem aos 18 de anorexia por que seus corações param*.E elas apenas andam em passarelas.

Michael tem 51. Ele dança 10 horas por dia. E irá dançar 2 horas toda noite durante 3 meses.
Vocês acham que estará ok?.

Agora que você sabe, você irá fazer alguma coisa ou você irá lutar com outros fãs para ter o melhor encontro com ele?.

Por favor,vamos pensar sobre a melhor solução para ajudá-lo . Ele precisa ser chocado por nós.Nós precisamos fazê-lo reagir.
E infelizmente,nós podemos ter de ferir seus sentimentos de algum modo.
Mas ele continuar vivo, é o que importa

Marika

É hora de relembrar, Testemunhos de fãs, o que disseram e ouviram de Michael 	 MJhistory_TII
this is it rehearsals june 2009 History tour 1997







O testemunho da Sandy
Terça, 06 Outubro 2009 16:23

Caros fãs, amigos e aqueles que merecem a verdade…

Decidi
partilhar algumas cartas escritas por mim antes da morte do Michael. A
última carta que lhe escrevi foi-lhe entregue mesmo antes do ensaio da
noite da sua morte. Tomei esta decisão em sinal de apoio à campanha This
Is Not It e porque acredito que o Michael queria que disséssemos a
verdade uma vez que ele já não está connosco, do mesmo modo que ele nos
pediu para fazermos durante todos os anos em relação às acusações, em
relação à Mottolla-Sony, etc..

É claro que tudo isto é muito
triste e difícil e não é algo que esperasse trazer a público, mas agora
que o Michael faleceu, sinto que é ainda mais importante falar sobre
apoiar a VERDADE contra as mentiras descaradas e tentativas de ocultação
por parte daqueles que rodeavam Michael nos seus últimos meses. Sinto
também a necessidade de me defender contra aqueles que dizem que os
“seguidores” só vêm a público após os fatos, agora que o Michael já não
está conosco. Isso não é verdade e fizemos o mais que pudemos sendo
“unicamente” fãs. Tudo aquilo que reivindicamos e dizemos é verdadeiro e
é baseado em palavras do PRÓPRIO MICHAEL, no que TESTEMUNHÁMOS DE FATO
nos meses anteriores à sua morte, juntamente com o que testemunhámos em
relação aos seus “amigos” e “médicos” ao longo das duas últimas décadas
em que “seguimos” o Michael.

Em primeiro lugar mostro-vos um
correio eletrónico que escrevi a 21 de Junho, quatro dias antes da morte
do Michael. Enviei este correio à Karen Faye, a sua maquiadora, e ao
Michael Bush, o seu costureiro, que eu sabia estarem com o Michael quase
diariamente nas semanas que antecederam a sua morte e sendo eles também
as únicas pessoas da sua equipa dignas de confiança e seus verdadeiros
amigos. Eu tinha conhecido o Michael, falado com ele e acompanhado a sua
condição ao longo de duas semanas em Los Angeles, em fins de Maio,
inícios de Junho. Saí de Los Angeles com uma sensação de desconforto,
particularmente em relação à óbvia perda de peso por parte do Michael.

Assunto: Por favor cuidem do Michael-POR FAVOR, INTERVENHAM-algo está errado. Eu vi.

Karen, Michael...

algo que tem vindo a preocupar-me há vários meses. Acho que há algo de
errado com o Michael e a sua saúde ou o cuidado com a sua imagem, o seu
peso, e estou realmente preocupada.

Tenho tido medo de dizer
qualquer coisa a qualquer pessoa porque creio que não seja realmente meu
privilégio de falar de algo tão pessoal em relação ao Michael e falar
disso com os fãs pode fazer de nós alvos de rejeição uma vez que o que
dissermos pode ser visto como uma crítica a ele. Mas eu quero saber se
ele está bem. Também quero saber se ele não está bem e se alguém está a
fazer alguma coisa em relação a isso. Há sempre novas pessoas em redor
do Michael e sempre foi notório que essas pessoas nem sempre dão
prioridade aos interesses do Michael devido aos seus próprios
interesses. Contudo, eu espero que vocês se preocupem realmente com o
Michael da mesma maneira que ultrapassariam um limite não ultrapassado
por outros se vissem que de algum modo ele estaria a magoar-se a si
próprio.

É dolorosamente óbvio que o Michael está MAGRO DEMAIS.
Eu sei que o peso do Michael varia e, de qualquer maneira, ele está
frequentemente magro demais, mas AGORA, ele está REALMENTE MAGRO DEMAIS.
Reparei pela primeira vez em Outubro que o seu peso realmente diminuía
drasticamente. Passei algumas horas com o Michael na sua “suite” de Bel
Air no Dia das Bruxas e mesmo aí fiquei espantada com o nível da sua
magreza. Quando ele me abraçou, senti que ele estava realmente
despojado. Pedi-lhe para, por favor, cuidar de si e para se manter
saudável e disse-lhe que ele tinha boa aparência. Eu estava a tentar
explicar-lhe que não teria que perder mais peso, que já estava com boa
aparência e que deveria parar por ali. Naturalmente estas palavras
deixaram-no embaraçado e ele simplesmente sorriu e agradeceu sem saber o
que dizer. Também lhe escrevi uma carta sobre o mesmo assunto, carta
essa que ele leu, mas respondeu com um simples agradecimento.

O
Michael disse-me naquela altura que estava a preparar uma digressão e eu
pensei que talvez fosse normal ele perder peso como parte da
preparação. Pedi que ele se tornasse consciencioso da sua variação de
peso. Mas agora parece que ele foi LONGE DEMAIS. Conheci-o no local de
ensaios de dança há algumas semanas e, honestamente, fiquei CHOCADA.
Reparei como os ossos dos seus ombros estavam LITERALMENTE protuberantes
e se mostravam através do tecido do seu casaco preto. Ele estava
ASSUSTADORAMENTE MAGRO. Quando nos abraçámos, senti os seus ossos.
Fiquei muito preocupada e triste por ele.

Ele aparentava estar
deprimido, sob muita tensão e o seu comportamento e voz demonstravam
grande fragilidade. ELE CHEGOU MESMO A DIZER que estava enervado e
preocupado sobre como iria ele fazer todos os cinquenta concertos, com o
fato de não comer bem e com a insuficiência de intervalos entre os
espectáculos. É óbvio que esta situação é difícil demais para ele, está a
fazer com que ele fique DOENTE. Penso se este fato não será provocado
por si próprio por não estar a comer ou por qualquer outro motivo.

NÃO HÁ NINGUÉM EM SEU REDOR QUE VEJA ISTO?

Karen, você vê isto? Diz-me alguma coisa sobre o que se passa?

Você comprova isto quando fazem a revisão de suas roupas?

Diz-me alguma coisa sobre o que está a acontecer?

POR
FAVOR, INTERVENHAM E AJUDEM. Creio realmente que ele chegou ao ponto em
que algo de mau e lamentável pode acontecer-lhe. Não quero com isto
dizer que vocês são responsáveis por ele, mas COMO AMIGOS E DUAS DAS
POUCAS PESSOAS CONSISTENTES em seu redor que me parece REALMENTE
PREOCUPAREM-SE com ele, arrisquem dizer-lhe alguma coisa, se ainda não o
fizeram.

Michael Amir, Alberto e Faheem começaram a restringir o
acesso ao Michael e eu já nem estou autorizada a entregar-lhe uma carta
em mãos sem que eles a leiam antes. Dão-nos muitas desculpas sobre o
Michael estar cansado, já em modo de digressão ou ainda de que é para a
sua segurança. Isto é ridículo. Após quinze anos de convívio com o
Michael não esperaria ser tratada deste modo, como se fosse fazer-lhe
mal. Posso ser “só uma fã”, mas tenho acompanhado o Michael desde há
muito mais tempo que eles e ainda cá estarei depois deles. O Michael tem
que ouvir os fãs quando é óbvio que ele está sob tensão e os que fazem
parte da sua organização nem sempre se preocupam com ele, mas sim com os
seus empregos caso digam algo considerado menos próprio. ELES TÊM QUE
VER que o Michael está a desgastar-se a olhos vistos, mas não me parece
que vão dizer ou fazer o que quer que seja. Separá-lo completamente dos
seus fãs é tudo aquilo de que ele não precisa. Vejo o quão solitário se
sente Michael e soube do próprio o quão pesada é a pressão exercida
sobre si. Ele tem filhos e eles estão sob a sua responsabilidade, não o
contrário. Para além dos seus filhos, os seus amigos mais próximos são
um grupo bem reduzido e disperso. Todos em seu redor e por estes dias
estão concentrados em “This Is It”. Tenho visto nestes últimos anos que
ninguém lhe tem dado apoio, em Las Vegas, depois em Bel Air e agora em
Los Angeles, isto é, ninguém que se preocupe com ele como amigo e não
simplesmente por negócios, exceto vocês dois, é claro.

Se ele
padece de alguma coisa séria, fisica ou mentalmente, que diga respeito
ao seu peso ou saúde, por favor, intervenham. Peço-vos que me digam se
ele está bem ou não. Não vale a pena pôr a sua saúde em perigo por estes concertos.

Sofro
muito por ele, devido à condição em que o vi. Se já lhe disseram alguma
coisa, peço-vos que lhe dêem esta carta se acharem que ele precisa
ouvir as mesmas palavras por outra pessoa. Tenho a certeza de que o que
quer que esteja a acontecer deve ser uma situação delicada, mas, por
favor, não a evitem. Estou muito preocupada. Digam-me que ele está bem.
Acima de tudo, digam-me a VERDADE.

Adoro-o. Por favor, ajudem-no se ele precisar. Quem me dera poder fazer algo. Sinto-me de mãos atadas.

Obrigada por lerem esta carta,

Sandy

O
Michael tinha-nos convidado para irmos ao seu estúdio de ensaios onde
ele nos falou com muito cuidado sobre os seus receios e sentimentos em
relação ao calendário da digressão, à AEG e ao Randy Phillips. Ele disse
também que tinha dores nas costas e que não comia bem, o que já nos era
óbvio. Ele quase chorava enquanto falava connosco e chegou a colocar as
suas mãos em posição de oração durante um momento de silêncio.
Terminámos este encontro com uma grande sensação de preocupação em
relação ao Michael e continuámos, durante as semanas seguintes, a vê-lo
perder ainda mais peso e por vezes num estado de torpor induzido. O
grupo de “seguidores” decidiu que será preciso tomar uma atitude
decisiva fazendo chegar as nossas preocupações directamente ao Michael. O
Michael estava a decair rapidamente e o nosso espanto e receios
continuaram a aumentar a cada dia. Não podíamos confiar os seus cuidados
à sua organização, uma vez que claramente não levavam nem levariam as
nossas preocupações a sério. Decidimos escrever cartas ao próprio
Michael. Cada um de nós escreveu a sua carta, mas todos partilhávamos o
mesmo sentimento de receio em relação ao estado do Michael. Pedíamos que
tomasse mais cuidado consigo, para se amar a si próprio e que desse
prioridade a si próprio em relação à digressão. As cartas foram
entregues em mãos ao Michael à entrada do seu estúdio de ensaios na
noite anterior à sua morte. O Michael tentou telefonar várias vezes à
Talitha (uma das fãs que entregou as cartas e que Michael conhecia
muito bem) no Staples Center, mas a chamada caía constantemente e nunca
saberemos o que ele queria dizer. Quando voltei a Los Angeles, para a
homenagem ao Michael, o seu assistente, o Michael Amir, disse-me que o
Michael lhe tinha perguntado pelas cartas ao regressar a casa após os
ensaios e ele as levou ao seu quarto. O Michael já não estaria conosco
dali a menos de oito horas.

Infelizmente esta é a minha última
carta para o Michael, escrita a 22 de Junho e entregue na noite de 24 de
Junho. Partilho-a com quem tenta culpar aqueles que, como eu, tentaram
ser ouvidos. Vocês acusam as pessoas erradas de nada terem feito. A
vossa atenção deve ser dirigida para a AEG, para o Randy Phillips e para
o Frank Dileo que dizia a quem queria ouvir que tudo estava “sob
controle” e que “o Michael não vai morrer”.

Caríssimo Michael,

Não
tenho bem a certeza de como começar a dizer o que tenho para te dizer,
mas peço-te que entendas que tudo o que disser é originado por um grande
afeto e preocupação com a tua felicidade e carinho. Amo-te muito, muito
mais que aquilo que alguma vez poderia transmitir-te por palavras. Nos
últimos meses tenho vindo a preocupar-me com o fato de não estares a
cuidar de ti como mereces ser cuidado. Tenho percebido de como estás a
ficar cada vez mais magro e estás agora magro ao ponto de me deixares
verdadeiramente preocupada com o teu bem-estar.

Imagino que
estejas sujeito a um enorme grau de pressão devido à preparação para os
concertos e deduzo que a tua perda drástica de peso seja um sintoma da
tensão pela qual tens passado nestes últimos meses.

Michael,
sinceramente, rezo para que saibas que continuaria a amar-te e apoiar-te
mesmo que nunca mais pisasses num palco. Mantiveste-te firme frente a
uma tensão e pressão em toda a tua vida maiores que o que o comum dos
mortais consegue suportar e sempre o fizeste com graciosidade, humildade
e honra. Por isso sempre te admirei, com a tua aparente força
sobre-humana e incrível força de vontade para atravessar os momentos
mais difíceis e obscuros. Mas, meu querido Michael, sei que és humano e
deves muitas vezes sentir-te cansado, perdido ou solitário, inundado e
ínfimo sob a escuridão de enormes obrigações. Imagino que sintas o peso
do mundo nas tuas costas nestas semanas que antecedem a tua noite de
estreia. Receio que os teus horários intensos e talvez a tua preocupação
em satisfazeres os fãs e em mais uma vez espantares o mundo com a tua
grandiosidade, te façam deixar de comer e perder peso, o qual não podes
desperdiçar.

Espero realmente que os teus concertos sejam
fantásticos e tudo aquilo que sonhaste. Sei que tens vindo a trabalhar
bastante, por longuíssimas horas, não desejo unicamente que sejas feliz
com o fruto do teu trabalho. No entanto, rezo para que não estejas a
trabalhar ao ponto de negligenciares a tua saúde, de não comeres o
suficiente para fortalecer o teu corpo, mente e espírito durante aqueles
que seguramente são dias de grande tensão.

Michael, quando te
encontrei, há alguns meses, no Dia das Bruxas, fiquei espantada com o
teu nível de magreza, mas disseste-me que estavas a preparar uma
digressão e então deduzi que a tua silhueta magra fosse resultado dessa
preparação. Nessa altura falaste dos concertos com um quê de ansiedade
na tua voz, uma atitude de contentamento e uma luz nos olhos, como não
tinha visto durante anos. Eu estava feliz por tu estares feliz, mas ao
voltar a ver-te em Los Angeles, após todas estas semanas, preocupa-me
ver que o teu ânimo parece derrubado e o teu peso diminuiu ainda mais.
Quando te encontrei no estúdio de dança, fiquei chocada com o quanto
tinhas emagrecido. Quando te abracei, senti que tanto de ti tinha sido
perdido. Se os concertos se tornaram pesados, demasiados e desgastantes,
fica a saber que não estás só e nunca poderás decepcionar-nos se
chegares à conclusão de que é impossível levar a iniciativa até ao fim.
Se os concertos estiverem a pôr a tua saúde em perigo, a tua saúde e o
teu bem-estar vêm em primeiro lugar. Não poderíamos apreciar um concerto
sabendo que estarias a fazê-lo em sofrimento. Não te sintas obrigado
perante nós a esforçar-te para além daquilo que desejas, para além das
tuas capacidades. Não quero com isto dizer que duvido de ti, mas
preocupa-me o fato de o teu peso estar drasticamente baixo e temo assim
pela tua vida uma vez que estás prestes a despender de muita energia
durante os próximos meses.

Espero não te ter ofendido com nenhuma
destas palavras. Gosto tanto de ti que digo o que digo por afeto e
preocupação. Ultimamente tens aparentado alguma tristeza, demasiada
tensão e magreza exagerada e quero que saibas que és amado e rezo pela
tua saúde e felicidade. Espero que estejas realmente bem e que as minhas
preocupações sejam resultado de paranóia por não te ter visto no teu
melhor durante alguns dias. O Michael Amir, o Alberto e o Faheem
começaram a restringir o acesso a ti com mais intensidade nas últimas
semanas, por isso não tem sido fácil saber como tens passado e
transmitir-te o nosso amor e preces. Desculpa-nos se te temos
importunado, mas estamos preocupados.

Conto os dias para voltar a
ver-te em Londres. Adoro-te e peço-te para que cuides de ti, por ti,
pelos teus filhos, pelos teus fãs, pela tua família e por todos aqueles
em todo o mundo que gostam de ti do fundo do coração. Queremos adorar-te
por muitos mais anos.

Adoro-te hoje e para sempre,

Sandy

Tenho a certeza de que ele leu isto e considero estas minhas palavras o último adeus ao Michael.

É
com grande segurança que digo que o Michael não confiava nem gostava da
AEG/Randy Phillips. Ele sentia-se sim financeiramente escravizado pelas
suas exigências devido ao seu papel em financiar a sua vida.
Encontrámos o Randy Phillips no velório do Michael e dissemos-lhe que
“sabemos a verdade”. Ele negou que alguma vez tenha ido contra a vontade
do Michael, mas o próprio Michael disse-nos a verdade e, naturalmente,
acreditamos nele. Dissemos ao Randy que “sabes que nós sabemos a
verdade”. Ele estava visivelmente chocado e ficou sem palavras. Espero
que ele sinta um grande arrependimento e culpa juntamente com todos
aqueles envolvidos que acredito que tenha levado o Michael à beira do
precipício do qual ele caiu.

Sabemos que desde há muitos anos o
Michael tem vindo a tomar medicamentos por receita e que passou por
várias fases de dependência nesta última década. Os “seguidores”
testemunharam este facto com frequência e com o passar dos anos. Vimos e
falámos com o Michael estando o próprio em estados alterados e muitas
vezes ficámos preocupados com ele. Estes fatos nunca foram algo que
optássemos por publicar em fóruns ou partilhar com o público uma vez que
eram assuntos relacionados com a privacidade do Michael e sempre
optámos por nunca pô-la em risco. No entanto, aqueles que lhe FORNECERAM
MEDICAMENTOS, que o INCENTIVARAM, que o USARAM e que o NEGLIGENCIARAM
durante anos, especialmente nos seus últimos meses de vida, devem ser
responsabilizados pela participação na sua morte. O Michael precisava de
ajuda e, em vez disso, os seus “amigos” preferiram mantê-lo feliz e sob
controlo em vez de lhe trazerem a ajuda da qual ele precisava
desesperadamente. O Michael era um ser humano como nós e como qualquer
pessoa dependente de drogas, ele precisava de ajuda. Ele não precisava
de médicos nem de amigos criminosos que o mantivessem constantemente
medicado para dar azo à sua ganância e fome de lucros.

Nota: A
fotografia anexada a este texto foi tirada a 29 de Maio de 2009, três
semanas antes da morte do Michael. É evidente que ele está muito abaixo
do peso ideal e continuou a perdê-lo mesmo após esta fotografia. A sua
condição é mais evidente no rosto, no maxilar e no pescoço. Poderão ver
igualmente no documentário This Is It que o Michael vestia sempre TRÊS
camisas E um casaco para ocultar a sua condição franzina nas últimas
semanas.

É hora de relembrar, Testemunhos de fãs, o que disseram e ouviram de Michael 	 Sandy20090529
MJ e Sandy

29 de Maio de 2009

Não
sei por onde começar com o meu testemunho. Simplesmente há muito por
dizer e tantos sentimentos envolvidos, sentimentos de tristeza,
arrependimento, raiva, confusão e sensação de abandono. No entanto,
sinto a necessidade de partilhar a minha história com todos vocês. Tenha
ela o valor que tiver. Ela não vai fazer com que o Michael regresse e
os abutres em seu redor continuarão a combater pelo que restou dele e
pelos seus bens. Esta campanha que estamos a montar não tem como
finalidade impedir o que não pode ser impedido. Tem sim como finalidade
fazer justiça pelo Michael ao dizer a quem nos ouvir que ele não estava
bem e que, SIM, nos procurou e que lhe devemos, pelo menos, a verdade ao
dizer-vos o que ele nos disse e mostrou nas suas últimas semanas de
vida. Quer ele tenha expressado a sua angústia e tensão por palavras ou
através dos óbvios estados físico e mental, acredito, e não estou
sozinha, que ele suplicava por ajuda e as pessoas em seu redor não lhe
deram a mão, cegas pela ganância, medo, interesses próprios, desleixo ou
ainda falta de compaixão.

Sou fã há mais de 20 anos, mas só nos
últimos oito meses da vida do Michael eu me tornei no que pode chamar-se
de “seguidora”. Quero com isso dizer que seguia o Michael com
frequência regular e poderei mesmo dizer, diária. Tive a oportunidade de
observar para onde ele ia, como estava e as pessoas em seu redor. Tive a
possibilidade de tomar conhecimento do seu estado físico e mental e a
velocidade a que tudo se deteriorou nas últimas semanas ou meses da sua
vida. Estes são os acontecimentos tais como eu me recordo sobre o
período que antecedeu a sua morte e sobre como alguns de nós, incluindo
eu, soubemos que ele corria perigo e o seu tempo se esgotava. Tentámos
intervir, mas chegámos tarde demais.

Em Novembro de 2008 o
Michael estava no hotel Bel-Air e encontrou-se com alguns de nós na
entrada, falou connosco por algum tempo e teve a amabilidade de nos
trazer comida do seu restaurante favorito que ele tinha pedido também
para si naquela noite. Ele tinha um ar maravilhoso e estava muito calmo,
muito consciente e lúcido. Obviamente não havia nada de “errado” com
ele naquela noite. O Michael falou connosco sobre muitas coisas e
também, mas muito por alto, sobre alguns projectos. Nessa altura não
fazíamos ideia de que havia concertos na calha. Nas semanas seguintes o
Michael teve muitas reuniões no hotel, reuniões essas que, pelo que
sabemos agora, estariam relacionadas com a digressão.

Após o
anúncio, em Março, dos concertos na O2, o Michael deu início aos ensaios
no Center Staging entre Abril e Maio. Foi nessa época que começámos a
constatar a regularidade das visitas ao consultório do Dr. Klein. O
aumento da frequência das visitas e a sua duração começaram a
assustar-me, bem como a outras pessoas, especialmente quando tomámos
consciência do efeito que essas tinham no Michael. Ele deixava as
instalações num estado de aparente ”torpor”. Chegámos à conclusão de que
os tratamentos lhe alteravam a consciência.

Chegou-se ao ponto
em que alguns de nós comentaram de que não valeria a pena dar-lhe cartas
de fãs ou presentes após as consultas com o médico já que ele
simplesmente as devolvia assinadas, mesmo que fossem cartas claramente
dirigidas a ele e não fotografias de caçadores de autógrafos.

No
sábado de 25 de Abril de 2009 algo chamou mais a minha atenção que o
normal. Era a primeira vez que o Michael iria ver o Dr. Klein a um
fim-de-semana e já era tarde. Ele ficou lá das 17h às 21:30.

Quando saiu do consultório do Dr. Klein, o Michael cheirava bastante a álcool ou éter e parecia estar atordoado.

A
29 de Maio, o Michael levou alguns de nós ao Center Staging para falar
connosco sobre o que se passava, isto após alguns fãs lhe terem dito que
não conseguiam bilhetes para os concertos, como as vendas de bilhetes
não faziam sentido, como tudo parecia estar mal organizado e se estaria
ele a par de tudo. Ele disse-nos que não estava a par desses problemas,
que não sabia que se tratava de um local com lugares sentados e que iria
fazer algo em relação a isso. O Michael disse-nos que tinha ido para a
cama a pensar que seriam 10 concertos e que ao acordar viria a descobrir
que eram 50!

Ele disse:

- Eles fizeram-no sem o meu consentimento. Eles simplesmente fizeram-no pelas razões óbvias.

E acrescentou ainda:

-
Eles também erraram na calendarização. Deveria ser dia, concerto de
descanso, dia, concerto de descanso, dia, concerto de descanso.

Ele quis dizer “Concerto, dia de descanso, concerto, dia de descanso, concerto, dia de descanso”.

A
sua voz cedia como se ele fosse começar a chorar, entrelaçou os dedos
como se fosse rezar e permaneceu calado. Ficámos em silêncio com ele.
Foi um momento muito intenso e, na minha opinião, preenchido com
tristeza e preocupação.

Eu fui-me embora com a sensação de que as
minhas preocupações tinham razão de ser, tendo o mesmo acontecido com a
maioria dos presentes.

Infelizmente, um dia após o Michael ter
feito esta declaração, a mesma foi publicada pela imprensa. É estranho,
mas a AEG foi rápida em refutá-la e taxá-la de falsa.

Este fato
coincide com o momento em que tudo começou a mudar para o pequeno grupo
dos que costumavam ter contato livre com o Michael.

Após a AEG ter descoberto o discurso do Michael dirigido a nós, tudo mudou.

A segurança deixou-nos de fora e o Michael deixou de estar “disponível”.

Com
acesso limitado, embora ainda conseguíssemos vê-lo e falar com ele, as
consultas médicas tornaram-se mais frequentes e apercebemo-nos de ainda
mais alterações físicas nele, especialmente com o peso. O Michael
simplesmente tinha um aspecto magro e algo parecia estar errado. Até as
atitudes e procedimentos dos seus seguranças mudaram.

A 1 de Junho, o Michael deu início aos ensaios no Forum, em Inglewood.

Algumas
semanas após o início dos ensaios, Michael Amir, o seu assistente e
segurança, disse que o Michael estava muito cansado, que não tinha
dormido durante todo o fim-de-semana e que a AEG lhe telefonava
constantemente.

Foi por essa altura que o Michael começou a ir para o local de ensaios cada vez mais tarde e, por vezes, os cancelava.

Uma
dessas ocasiões foi a 12 de Junho. Ele foi para os ensaios a uma hora
tardia. No momento da sua chegada, ele não parou para nos dar atenção,
como costumava fazer. Pouco tempo depois, o seu segurança veio ver onde
estávamos ao passar de carro a alguns metros do lugar onde normalmente
estacionávamos e esperávamos. Não fizeram qualquer esforço para nos
dizerem o que estavam a fazer. Isto teve lugar por volta das 20, 21h.
Por volta da meia-noite, um dos seus seguranças, chamado “Biggie”, saiu e
disse-nos:

- O Michael disse que isto é “perigoso”. Ele não queria vir aos ensaios esta noite. Ele está cansado.

Posteriormente
foi-nos pedido que ficássemos em fila e que cada um de nós teria 15
segundos a sós com o Michael. Tudo aquilo nos parecia estranho. Não
entendíamos o que se passava, mas, obviamente, formámos a fila e
utilizámos o tempo que nos foi disponibilizado individualmente. Tudo
aquilo foi muito despersonalizado e éramos vigiados de perto pela
segurança.

Nos últimos dias de vida do Michael, lembro-me
igualmente de ter reparado no seu segurança, Alberto Alvarez, que muitas
vezes parecia agitado e suava de modo nervoso. Quando lhe perguntávamos
se o Michael estava bem ou não, ele dizia que o Michael estava
“concentrado” e em “modo de digressão”, não respondendo assim à pergunta
que lhe era feita. Contudo, pudemos ver que algo mais se passava, que o
Michael se tinha alterado a olhos vistos, que estava atordoado,
emaciado e que o seu segurança, por algum motivo, estava nervoso. Na
verdade, em vez de ter dois ou três guardas aos portões de sua casa,
tinha duas ou três vezes esse número, número esse que chegou a alcançar
os doze guardas na noite em que ele morreu.

Algo se passava, algo tinha mudado e soubemos então que era o momento de tomar uma atitude.

Numa
tentativa de fazer algo para salvar a sua vida, cerca de doze fãs,
incluindo eu própria, escreveu cartas ao Michael na semana antes da sua
morte. Era nossa intenção entregar-lhe essas cartas e assim tomarmos uma
posição em nome de todos os fãs que sentiam que algo estava errado.

Apercebemo-nos
de que se tratava de uma questão de tempo antes da sua morte, a não ser
que fossem tomadas medidas. Ninguém em seu redor pareceu preocupar-se o
suficiente para tomar uma atitude. Uma vez que todas as cartas tinham
sido recolhidas e um plano tinha sido construído, decidimos intervir a
24 de Junho de 2009.

De facto, conseguimos nessa tarde, pôr as
cartas nas suas mãos. A noite seguinte seria a última vez que eu o
veria, ao sair do Staples Center, por volta de 1:30, a 25 de Junho de
2009.

Esta foi a minha carta para o Michael:

“Michael,

Admiro-te
e amo-te desde os meus 14 anos, quando, pela primeira vez, salvaste a
minha vida. Continuaste a salvá-la ao longo dos anos, por mais arrojado e
estranho que isto possa parecer a alguém que nem me “conhece”. Deste-me
alento, esperança e força.

Agora é a minha vez, a vez de todos nós, de TE auxiliar e te dizer que estamos presentes para te apoiar e para te ajudar.

Por
favor, entende que te amamos tanto que não podemos sequer pensar em te
perder. És tão importante para nós que ficamos magoados ao ver-te
infeliz, tal como temos vindo a observar já há algum tempo, por mais que
tenhas tentado escondê-lo. Sentimos e vemos que algo está errado.

Michael,
nunca faças nada que NÃO queiras fazer, quer se trate de concertos ou
qualquer outra coisa que as pessoas queiram que faças para que se faça
dinheiro.

Não deixes que ninguém ou nada te desgaste ao ponto de
perderes o sono, de te preocupares ou de fazeres qualquer coisa que em
última instância te leve a prejudicares a tua saúde. Nada disso é assim
tão importante e não precisas de provar nada a ninguém.

Respondeste, mais que uma vez, às cobranças que a ti foram feitas.

Eu e todos nós precisamos de ti e te amamos do fundo do coração.

Samantha”

Quero
terminar tornando algo bem claro. Não estou a dizer que o Michael
parecia estar sempre atordoado ou drogado. Quero que isso fique bem
claro. NÃO o vimos como um drogado. Estávamos simplesmente preocupados,
durante um certo período de tempo, com o facto de ele estar sob
demasiada tensão e pressão para conseguir comer e viver sem medicação.
Preocupávamo-nos também com o facto de que aqueles em seu redor sabiam
que ele não estava bem e preferiram fechar os olhos em prol dos lucros
financeiros. Só Deus sabe que outros motivos existiriam. Mas eu sei o
que vi e sei que aquele não era um homem saudável, feliz e em forma,
preparado para subir a um palco dali a menos de três semanas. Isso
sabiam-no eles também. É o momento de a verdade ser revelada.

Samantha

É hora de relembrar, Testemunhos de fãs, o que disseram e ouviram de Michael 	 Samantha



O testemunho da Talin
Domingo, 11 Outubro 2009 16:31 Actualizado em Sexta, 29 Outubro 2010 18:48
Queridos fãs,
Vivo
em L.A. e estive frequentemente perto do Michael durante a sua estadia
aqui nos últimos oito meses da sua vida. Nos dias em que não estive
presente havia sempre outros “seguidores” por perto.
Peço-vos então
que levem os nossos testemunhos a sério uma vez que, em conjunto, vimos o
Michael todos os dias e também em conjunto, as nossas preocupações eram
as mesmas. Na minha opinião, existem unicamente duas teorias sobre a
morte do Michael:

1) O Michael estava a ser controlado e sob
pressão, a sua resistência era explorada ao máximo e as suas
necessidades eram negligenciadas. Além de tudo isto, ele foi
intencionalmente assassinado e o Dr. Murray não foi o único responsável.

2)
O Michael estava a ser controlado e sob pressão, a sua resistência
era explorada ao máximo e as suas necessidades eram negligenciadas. Ele
foi assassinado acidentalmente pelo Dr. Murray.

A primeira parte
de ambas as teorias é um FATO e embora outros se convençam de que ele
estava “bem”, não consigo mentir a mim própria e ignorar o que eu
testemunhei nas últimas semanas da sua vida. É bem evidente que o
Michael se decidiu pela realização dos concertos por razões financeiras,
embora, após o anúncio dos concertos, eu tenha visto que ele estava
excitado com todo aquele projecto que quebrava “recordes”. Ele parecia
feliz com tudo nos primeiros meses de ensaios, perguntou-nos se tínhamos
ficado surpreendidos com a conferência de imprensa e perguntava-nos
sobre canções que queríamos ouvir. No entanto, nas últimas três ou
quatro semanas, tudo começou a degradar-se pouco a pouco. A excitação
nem sempre estava presente e por fim, percebemos que algo estava errado.

Aqui estão os meus FATOS:
A
29 de Maio, o último dia de ensaios no Center Staging, alguns de nós
foram ao estúdio e falaram com o Michael. Por sinal, era ele quem queria
falar connosco. Começou por se desculpar pela organização dos lugares
para os concertos e então disse: “As datas e os lugares foram
organizados sem o meu consentimento”. Ele disse que iria fazer estes
concertos por nós e queria fazê-los como nós quiséssemos. O Michael
parecia estar descontente com o modo como tudo se desenrolava e num
determinado momento a sua voz cedeu como se fosse chorar. Ele disse que
não é sobre-humano nem tem toda a energia do mundo. Mais tarde, nesse
mesmo dia, encontrámo-lo em outro local onde tirámos fotografias juntos.
O Michael estava sentado no carro, com as pernas para fora e eu estava
encostada a ele. Apoiei a minha mão na sua perna para me acomodar e
senti os seus ossos. Não, não era como se ele estivesse magro. Era mais
como se ele não fosse nada além de um esqueleto. Fiquei REALMENTE
assustada e foi aí que comecei a pensar que havia algo de errado. A
partir desse momento, as minhas cartas para ele passaram a expressar
preocupação. Eu não lhe dizia nada em específico, mas pedia-lhe para dar
prioridade à sua saúde e felicidade. Antes deste momento, pensava eu
quando começaria ele a ganhar peso, como tinha acontecido em digressões
anteriores, mas uma vez que ele usava várias peças de roupa de tamanho
maior, foi difícil perceber quão magro ele estava. Com estas
preocupações presentes, foi neste momento que o seu cabelo começou a
encaracolar, as preparações avançavam e a excitação dos concertos
aumentava. Então eu pensei: “Bem, talvez esteja a exagerar. Ainda falta
um mês e talvez tudo se resolva.”. O primeiro ensaio no Forum, na semana
seguinte, era promissor, uma vez que o tínhamos ouvido cantar, por isso
pensei que a situação estivesse a melhorar. Ainda restava em mim alguma
atenção, mas não a preocupação de que ele estivesse em perigo.

É hora de relembrar, Testemunhos de fãs, o que disseram e ouviram de Michael 	 TalinMJ

O
dia 12 de Junho é o dia em que a segurança do Michael começa a tomar
atitudes estranhas e a manter-nos afastados dele tomando decisões
extremas. As suas atitudes eram absolutamente desnecessárias uma vez que
nunca estivemos presentes em mais de 10 ou 12 pessoas, pessoas essas
que o Michael conhecia e em quem confiava, tal como confiavam os seus
seguranças.
Nas semanas seguintes passaram-me pela cabeça tantos motivos para justificarem tudo isto:
1)
Como diziam os seguranças, ele estava em “modo de concerto” e
estaria provavelmente a elaborar sobre a adrenalina crescente.
2) Ele tinha tonturas e não queria que nos apercebêssemos nem que víssemos isso.
3)
Os promotores dos concertos tinham descoberto que ele conversava
connosco e se queixava a nós. De algum modo essas informações chegaram à
imprensa e eles instruíram os guardas para se certificarem de que nós
não teríamos contacto com o Michael.
4) Talvez ele não quisesse
ser incomodado e tivesse começado a sentir-se inseguro. Isto é possível,
mas é igualmente estranho, devido à proximidade do acontecimento e
outros factores.
O Michael ia frequentemente ao consultório do Dr. Klein e vinha de lá um pouco atordoado.
Sempre
pensei no motivo pelo qual ia lá, mas nunca me senti no direito de
perguntar. Deduzi que o motivo fosse algum tratamento de pele, mas
preocupava-me o facto de ele ficar lá por horas, às vezes, cinco horas, e
preocupava-me aquilo a que ele poderia estar a ser sujeito. Nunca
suspeitei que ele fosse lá para dormir e como tinha dito, não me achei
no direito de perguntar nem de receber alguma resposta de alguém em
relação a isso.

A última vez que o vi fora do consultório do Dr.
Klein foi a 16 de Junho, embora ache que ele foi lá mais uma vez antes
da sua morte.

Entre todos os fãs que estavam perto dele naquele
dia, foi unânime a constatação de que ele estava atordoado quando saiu
de casa pela primeira vez e estava atordoado quando deixou o consultório
do Dr. Klein. Seguidamente ele foi para casa antes de voltar aos
ensaios e novamente ele estava atordoado após os ensaios. Nessa noite
seis de nós chegaram a diferentes conclusões. Foi aqui que pensámos que
algo estaria errado. Achámos que talvez o Michael estivesse a ser
medicado contra a sua própria vontade para continuar com os ensaios e
não se opor. Pensámos que ele estivesse a ser controlado pela AEG, a NOI
ou por ambas. Começámos a acusar o seu pessoal e outras pessoas
envolvidas na organização dos concertos e pensámos no que poderíamos
fazer. Conhecíamos alguém dentro do fórum, mas que não estava envolvido
nos concertos. Sugeri que perguntássemos a essa pessoa como estava o
Michael nos momentos em que estava em palco e um dos meus amigos disse:
“O Michael não esteve em palco nos últimos três ensaios.”. Sendo que os
últimos três ensaios se realizaram a 11, 12 e 16 de Junho. No dia
seguinte perguntei ao Alberto, o chefe dos seguranças, como ia o Michael
nos ensaios e se ele estava feliz e com saúde. A resposta do Alberto
foi extremamente positiva. Obviamente ele estava a mentir, uma vez que o
Michael não tinha estado em palco ultimamente, logo as coisas não
poderiam estar a “correr bem”. Sim, talvez tivessem havido dias em que
ele não seria necessário em palco, mas não assim tão perto da noite de
estreia e não por três ensaios consecutivos.

É hora de relembrar, Testemunhos de fãs, o que disseram e ouviram de Michael 	 TalinMJ2

Vi
o correio electrónico da Marika a 21 de Junho, sobre o que ela tinha
visto e o quão preocupada ela estava em relação ao peso dele. Sem pensar
duas vezes, juntámos esforços para fazer chegar as nossas cartas ao
Michael. Muitos fãs nos culpam agora por não os termos incluído todos.
Peço-vos do fundo do coração que tenham em consideração o facto de que
nem todos os fãs tinham acesso directo aos acontecimentos e se
tivéssemos lançado este tema em discussão, muitos ter-nos-iam acusado de
exagero e procura de atenções. Tenham igualmente em consideração o
facto de que isto aconteceu no espaço de poucos dias. A 22 não houve
ensaio. O dia 23 foi o seu primeiro dia no Staple Center e aí tentámos
dar-lhe as cartas, mas medidas de segurança desnecessárias fizeram com
que isso fosse impossível. Após uma cuidadosa preparação, no dia 24,
fomos bem sucedidos, mas, claramente era já tarde demais. Eu escrevi a
minha carta à mão por isso não tenho uma cópia que possa ser partilhada.
No entanto é uma carta semelhante a outras. Sem pôr em questão as suas
habilidades, pedi-lhe para tomar cuidado consigo próprio, fazer o que
fosse melhor para ele, para a sua família e para a sua saúde e para não
se preocupar connosco, com o mundo ou com as suas finanças. O Michael
viria a falecer horas depois de termo-lo visto pela última vez. Então
dirijo-me às pessoas que duvidam de nós ou questionam as nossas
intenções ou que dizem ainda que estamos a exagerar aquilo que
testemunhámos. Acham que tudo isto foi uma coincidência? Acham que o
facto de termos entrado em pânico, de termos ficado preocupados e de
termos tomado atitudes e depois ver todos os nossos receios tornarem-se
realidade foi puro acaso? Enquanto as culpas podem ser atribuídas
unicamente ao Dr. Murray, a VERDADEIRA causa da morte do Michael Jackson
pode ficar eternamente por desvendar. A verdade é que o Michael não
estava bem nas suas últimas semanas de vida, mas todos em seu redor
preferiram ignorar esse facto uma vez que pensaram que o espectáculo
teria de continuar! Sim, o Michael foi assassinado acidental ou
intencionalmente e com Propofol. Não digo que o seu peso ou a ingestão
de medicamentos tenham tido influência na sua morte. O que estou a
tentar dizer é que a AEG está a fazer com que pareça que ele estava
muito bem, de boa saúde, até ao momento em que o Dr. Murray o medicou em
excesso. Mas nós vimos a situação por uma outra perspectiva. Estará a
AEG a ocultar algo mais, a encobrir as suas atitudes ao lançar este
documentário claramente alterado? Estará mais alguém por trás de tudo
isto? Poderemos nunca vir a conhecer a verdade, mas agora todos sabem
aquilo que eu vi, o que todos nós vimos e tentámos evitar nos últimos
dias da sua vida.

Talin
izilda
izilda
Invincible
Invincible

Feminino Mensagens : 2226
Idade : 60
Localização : São Paulo

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

É hora de relembrar, Testemunhos de fãs, o que disseram e ouviram de Michael 	 Empty Re: É hora de relembrar, Testemunhos de fãs, o que disseram e ouviram de Michael

Mensagem por isajackson em Qua Jan 26, 2011 8:51 am

Sad nossa que coisa triste! mas eu acho que se toda a equipe sabia da situação dele e não fizeram nada,todos são assasinos sim,todos de uma certa forma o mataram.

isso revolta e muito!!!!!!!!!!!!!!!!!
isajackson
isajackson
Destiny
Destiny

Feminino Mensagens : 180
Idade : 45
Localização : são paulo sp

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

É hora de relembrar, Testemunhos de fãs, o que disseram e ouviram de Michael 	 Empty Re: É hora de relembrar, Testemunhos de fãs, o que disseram e ouviram de Michael

Mensagem por Senhorita. em Qua Jan 26, 2011 9:52 am

Movido para Noticias - Geral
Senhorita.
Senhorita.
Ben
Ben

Mensagens : 74

Ver perfil do usuário http://simplesmentemichaeljackson.blogspot.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

É hora de relembrar, Testemunhos de fãs, o que disseram e ouviram de Michael 	 Empty Re: É hora de relembrar, Testemunhos de fãs, o que disseram e ouviram de Michael

Mensagem por Gìíh Jackson em Qua Jan 26, 2011 7:42 pm

Os testemunhso falam por si.....
Não tenho certeza, mais tenho milhoes de duvidas sobre o que estavam fazendo entre as paredes desses ensaios...
Gìíh Jackson
Gìíh Jackson
Off The Wall
Off The Wall

Feminino Mensagens : 658
Idade : 23
Localização : SP

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

É hora de relembrar, Testemunhos de fãs, o que disseram e ouviram de Michael 	 Empty Re: É hora de relembrar, Testemunhos de fãs, o que disseram e ouviram de Michael

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum